Páginas

domingo, 15 de dezembro de 2013

DEUS É TRINO OU TRIÚNO?



DEUS É TRIÚNO

Deus é trino. Talvez seja melhor dizer: Ele é triúno. Dizer que é triúno deixa claro que é mais que ser três pessoas reunidas; Deus subsiste em três pessoas que juntas são um único Deus. O Pai é Deus, o Filho é Deus e o Espírito Santo é Deus. Não existem três deuses, mas, um só. Esse único Deus é três pessoas. Cada uma delas é distinta e tem personalidade própria. O Pai não é o filho, o Espírito Santo não é Pai e o Filho não é o Espírito Santo. As pessoas são distintas, mas Deus é um só. Ele não é dividido. As três pessoas são distintas, mas iguais. Nenhuma delas é mais importante ou maior que as outras.

Os seguintes textos bíblicos Dt 6.4; Is 44.6, afirmam que existe um único Deus. Já nos textos de Gn 1.26; Is 9.6, 48.16; Mt 28.19; 2 Co 13.13, revelam a triunidade de Deus. Entendemos que as três pessoas são iguais em poder. Embora o nome Pai, indique que ele tem uma posição de liderança, o Pai não tem mais poder nem é maior em importância do que o Filho. O Espírito Santo também não é subordinado ao Pai ou ao Filho. Uma comparação entre dois versículos deixa claro esta verdade: “Assim diz o Senhor, Rei de Israel, seu Redentor, o Senhor dos exércitos: Eu sou o primeiro, e eu sou o último, e fora de mim não há Deus” (Is 44.6).Comparando com Ap 1.17 “Quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo: Não temas; eu sou o primeiro e o último”. No texto de Isaías, quem está falando é o Senhor Deus Pai, já no texto de Apocalipse quem está falando com o apostolo João é o Senhor Jesus, ou seja, o Deus Filho. Os dois afirmam que são o primeiro e o último. Fica bem claro que os dois são um só Deus.

A Bíblia demonstra que o Espírito Santo é Deus, quando no Novo Testamento diz que Ele falou uma palavra que foi falada pelo Senhor Deus. Um exemplo é Atos 28.25-27 “E estando discordes entre si, retiraram-se, havendo Paulo dito esta palavra: Bem falou o Espírito Santo aos vossos pais pelo profeta Isaías, dizendo: Vai a este povo e dize: Ouvindo, ouvireis, e de maneira nenhuma entendereis; e vendo, vereis, e de maneira nenhuma percebereis. Porque o coração deste povo se endureceu, e com os ouvidos ouviram tardamente, e fecharam os olhos; para que não vejam com os olhos, nem ouçam com os ouvidos, nem entendam com o coração nem se convertam e eu os cure”.

Agora leremos Isaías 6.8-10 “Depois disto ouvi a voz do Senhor, que dizia: A quem enviarei, e quem irá por nós? Então disse eu: Eis-me aqui, envia-me a mim. Disse, pois, ele: Vai, e dize a este povo: Ouvis, de fato, e não entendeis, e vedes, em verdade, mas não percebeis. Engorda o coração deste povo, e endurece-lhe os ouvidos, e fecha-lhe os olhos; para que ele não veja com os olhos, e ouça com os ouvidos, e entenda com o coração, e se converta, e seja sarado”.

As palavra do apóstolo Pedro em Atos 5.3-4 também dizem que o Espírito Santo é Deus “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço do terreno? Enquanto o possuías, não era teu? e vendido, não estava o preço em teu poder? Como, pois, formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus”.

A UNICIDADE DE DEUS

Há várias citações na Bíblia que declaram a unicidade de Deus (2 reis 19.15; Neemias 9.6; Salmos 83.18; 86.10; Isaías 43.11; I Coríntios 8.6; Gálatas 3.20; Efésios 4.6). As Três Pessoas possuem os mesmos atributos da Divindade:

- Onipresença do Pai: Jeremias 23.24;
- Onipresença do Filho: Efésios 1.20-23;
- Onipresença do Espírito Santo: Salmos 139.7.
- Onipotência: do Pai: Gênesis 17.1;
- Onipotência do Filho: Apocalipse 1.8;
- Onipotência do Espírito Santo: Romanos 15.19
- Onisciência: do Pai: Atos 15.18;
- Onisciência do Filho: João 21.17;
- Onisciência do Espírito Santo: I Coríntios 2.10.

O QUE A BÍBLIA NÃO ENSINA SOBRE A TRINDADE

Para termos uma melhor idéia sobre o Deus triúno, vamos observar algumas idéias que não são verdade:

1- É errado ensinar que Deus não é três pessoas, mas apenas se revelou como três pessoas. Dentro deste falso ensino está a idéia de que Deus se mostrou como Pai no Antigo Testamento, no Novo Testamento se revelou como Filho ao vir ao mundo e quando o Filho subiu ao céu, então se revelou como Espírito Santo. Esta idéia pode ser considerada heresia, por isso não se deve referir ao Velho Testamento como “a época do Deus Pai”.

2- Dizer que o Filho é apenas um deus criado ou um anjo, é outra grande heresia que tenta atingir a divindade de Jesus. Ao escrever seu Evangelho o apóstolo João inicia declarando que Jesus é Deus e é o Criador de todas as coisas, João 1.1-3 “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele, e sem ele nada do que foi feito se fez”.

3- Dizer que o Espírito Santo é apenas uma "Força". Esta é mais uma heresia, agora contra a Pessoa do Espírito Santo. O que defendem essa heresia dizem que o Espírito Santo não pode ser uma pessoa porque lhe falta o físico. A Bíblia diz que Deus é Pessoa Espiritual, mas Ele não tem carne nem ossos. A pessoa não se identifica pelo físico. No dicionário Aurélio diz que Pessoa é um ser caracterizado por noções conscientes, racionalidade e senso moral. O Espírito Santo é uma pessoa,
  • Ele fala (Mt 10.20);
  • Ele ensina (Lc 12.12);
  • Ele conduz e guia (Jo 16.13);
  • Intercede (Rm 8.26,27);
  • Entristece (Ef 4.30);
  • Dá ordens (At 16.6-7).
Enfim, o Espírito Santo tem ações de uma Pessoa, porque Ele é uma pessoa.

CONTESTAÇÕES A DOUTRINA DA TRINDADE

No Unicismo

O unicismo tenta explicar o assunto desenvolvendo a teoria das três manifestações. Seria um único Deus Verdadeiro que se manifesta em três formas, ora como Pai, ora como Filho, ora como o Espírito Santo.

Objeções aos Unicistas

Essa teoria unicista não encontra sustentação na verdade bíblica, já que na Bíblia encontramos passagens deixando claro que são pessoas distintas e não meras manifestações (Jo 1.1-3; 8.16-18; 15.26).

O apóstolo João diz: "Quem é o mentiroso senão aquele que nega que Jesus é o Cristo? Esse mesmo é o anticristo, esse que nega o Pai e o Filho" (1 Jo 2.22). Embora esses versículos tenham sido escritos para proteger a Igreja do gnosticismo, nos ensina também que não podemos negar a personalidade das pessoas. Quem nega que Jesus é o Cristo, quem nega a personalidade do Pai e a personalidade do Filho é classificado de mentiroso, contrário a Cristo, já que negar essas verdades bíblicas são características da doutrina do espírito do anticristo e não do cristianismo ortodoxo.

As Testemunhas de Jeová

As Testemunhas de Jeová por não compreenderem o mistério do Deus Filho, criaram uma teoria “racionalista paradoxal” negando a divindade de Cristo e a pluralidade na unidade divina (1 Tm 3.16).

Assim desenvolveram um sistema doutrinário peculiar, ou seja, a crença em duas divindades, uma todo-poderosa, chamada de Jeová e outra menos poderosa ou apenas um deus menor, chamado Jesus. Esse ensino cai de vez no politeísmo, ou seja, a crença em duas ou mais divindades. Algo que é impensável na fé cristã monoteísta. Senhor.

Objeções as Testemunhas de Jeová

Temos, porém, de ter em mente que as Testemunhas de Jeová não conseguem dissociar a pa­lavra Deus do Pai. Todas as vezes que dizemos que Jesus é Deus, elas, no seu complexo sistema de entendimento, acusam a idéia de que estamos confundindo o Pai com o Filho. As Testemunhas de Jeová precisam entender que quando estamos falando de que Je­sus é Deus, não estamos dizendo que Jesus é o Pai ou que seja o Espírito Santo. Mas o sistema de entendi­mento desenvolvido pela Sociedade Torre de Vigia não permite esse raciocínio, e a primeira coisa que ouvi­mos das TJ quando falamos que Jesus é Deus, são as seguintes indagações:
  • “Se Jesus é Deus então Ele orou para si mesmo?"
  • "Se Jesus é Deus então o céu ficou vaziou quando Ele veio a terra?"
  • "Se Jesus é Deus então Deus morreu?”


Tudo isso porque elas confundem as pessoas da divindade. Essas perguntas as jeovistas devem direcionar para os Unicistas e não para os que acreditam na Trindade. Já que a Trindade são três Pessoas em Unidade Divina, daí o motivo de qualquer das três Pessoas poderem ser chamada de Deus.

AS DUAS NATUREZAS DE JESUS

Outro problema levantado pelas sei­tas que rejeitam a doutrina da Trindade é aplicar as passagens bíblicas que se referem ao Filho como homem, para contradizer sua natureza divina. Ignoram que o Senhor Jesus possui duas naturezas: a divina e a humana, assim, essas seitas apresentam as passagens bíblicas que provam a humanidade de Jesus para negar a sua divindade, sendo que essas passagens não contradizem sua divindade, apenas provam sua outra natureza, a humana. Assim como as passagens que revelam a divindade de Jesus não contradizem sua natureza humana, mas simplesmente revelam sua outra natureza a divina, já que o Filho possui duas naturezas, verdadeiro homem (1 Tm 2.5) e verdadeiro Deus (Jo 1.1).

O autor evangélico Robert M. Browman Jr., declara com muita propriedade e profundo senso de responsabilidade: "Existe a escolha, portanto, entre crer no Deus Verdadeiro conforme Ele se revelou, com mistérios e tudo, ou crer num Deus que é relativamente fácil de ser compreendido, mas que tem pouca semelhança com o Deus Verdadeiro. Nós que cremos na Trindade estamos dispostos a conviver com um Deus a quem não conseguimos compreender plenamente, já que adoramos a Deus conforme Ele se tem revelado.

CONCLUSÃO

Crer que Deus subsiste em Três Pessoas significa que:

a - Deus é muito maior do que nosso pensamento. Para nós três nunca pode ser um, mas em Deus três são de fato apenas um. Então crer na trindade é uma questão de fé.

b - A riqueza de Deus é tão grande que é refletida na obra de três pessoas e não apenas em uma. São três pessoas que trabalham em perfeita harmonia. Esse é o Deus em quem podemos depositar toda a nossa confiança.

c - A sabedoria do plano de Deus para o mundo foi desenvolvido através de conselhos entre as três pessoas da Trindade (Gn 1.26).Sempre existiram e sempre existirão pessoas que serão contra a existência da Trindade. Seus argumentos são facilmente contestáveis já que utilizam versículos soltos em meio a textos bíblicos, tentando embasar suas heresias.

Fonte: http://www.santovivo.net/gpage204.aspx