Páginas

sábado, 25 de janeiro de 2014

O MISTÉRIO DOS BOLAINES DO MAR MORTO



Nas Margens Recuada do Mar Morto surgiram uma infinidades de Buracos e dentro dos Buracos surgiram água doce de debaixo da terra e essa água mesmo em contato com o Mar Morto continua doce. A ciência não tem explicação para esse Fenômeno, Mas a Palavra de Deus tem, o que está acontecendo e o que ainda à por vir !

Veja o video:


O Mistério dos Bolaines Do Mar Morto


Há milhares de anos, surgiu no sul de Israel uma depressão enorme, de aproximadamente 80 quilômetros de comprimento por 18 quilômetros de largura, com uma profundidade insondável, que desce aos abismos da Terra. Como naquele lugar ficavam as antigas cidades de Sodoma e Gomorra, teria sido tal depressão causada pelo fogo e enxofre que desceram do céu, fato confirmado até por Jesus. A verdade é que as outroras campinas verdejantes da região transformaram-se em um paisagem estéril, sem vida, e com uma altíssima concentracão de sal, como nunca se viu em qualquer outro lugar do mundo!

Como que para ocultar aquele enorme buraco – considerado o lugar mais baixo da Terra –, Deus fez com que, por milhares de anos, o Rio Jordão despejasse ali as suas águas doces, até que se formasse um enorme lago com a mesma extensão da depressão: 80 km. Porém, como a concentração de sal ali é altíssima, toda água trazida pelo Rio Jordão é imediatamente transformada em uma água imprestável, dez vezes mais salgada do que a água de qualquer oceano.

Naquelas águas salgadas, nem mesmo a mais resistente bactéria consegue sobreviver. Qualquer peixe eventualmente transportado pelas correntezas do Rio Jordão morre assim que desagua neste lago de morte. Por isso aquele imenso lago é chamado de Mar Morto. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço das suas águas e, a cada ano, encolhe um metro. Ou seja: literalmente, o Mar Morto está morrendo!





Na década de 80, o primeiro-ministro de Israel, Menahem Begin, preocupado em salvar o Mar Morto, projetou transportar as águas do Mar Mediterrâneo através de dutos, e despejá-las no Mar Salgado, para reabastecê-lo. Mas o projeto foi abandonado por ser muito oneroso e politicamente impraticável, já que os dutos teriam de passar por dentro de centenas de montanhas e também por territórios hostis a Israel. Desde então, o Mar Morto continuou morrendo, sem que os geólogos, ambientalistas e cientistas pudessem fazer qualquer coisa, a não ser assistir à sua lenta extinção!

Porém, de alguns anos para cá, de maneira inexplicável, BURACOS MISTERIOSOS, com cerca de 30 metros de diâmetro por 7 de profundidade, começaram a surgir nas praias salgadas do Mar Morto e, de dentro deles, surpreendentemente, ÁGUAS PASSARAM A TRANSBORDAR! Águas que, apesar de brotarem de um solo extremamente salgado, CONSERVAM-SE DOCES E SAUDÁVEIS! Estes “bolaines” - porque assim estão sendo chamados – multiplicaram-se, e hoje há centenas e centenas deles! E todos brotando e transbordando águas doces, QUE ENCHERÃO O MAR MORTO DE VIDA! A Ciência não tem uma explicação para isto, mas a Palavra de Deus tem! Ezequiel 47 tem a resposta.




O cumprimento da profecia em Ezequiel 47 

Ezequiel 47:1
Depois disso me fez voltar à entrada do templo; e eis que saíam umas águas por debaixo do limiar do templo, para o oriente; pois a frente do templo dava para o oriente; e as águas desciam pelo lado meridional do templo ao sul do altar.

Ezequiel 47:2
Então me levou para fora pelo caminho da porta do norte, e me fez dar uma volta pelo caminho de fora até a porta exterior, pelo caminho da porta oriental; e eis que corriam umas águas pelo lado meridional.

Ezequiel 47:3
Saindo o homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir, mediu mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos.

Ezequiel 47:4
De novo mediu mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos; outra vez mediu mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos lombos.

Ezequiel 47:5
Ainda mediu mais mil, e era um rio, que eu não podia atravessar; pois as águas tinham crescido, águas para nelas nadar, um rio pelo qual não se podia passar a vau.

Ezequiel 47:6
E me perguntou: Viste, filho do homem?
Então me levou, e me fez voltar à margem do rio.

Ezequiel 47:7
Tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia árvores em grande número, de uma e de outra banda.

Ezequiel 47:8
Então me disse: Estas águas saem para a região oriental e, descendo pela Arabá, entrarão no Mar Morto, e ao entrarem nas águas salgadas, estas se tornarão saudáveis.

Ezequiel 47:9
E por onde quer que entrar o rio viverá todo ser vivente que vive em enxames, e haverá muitíssimo peixe; porque lá chegarão estas águas, para que as águas do mar se tornem doces, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio.

Ezequiel 47:10
Os pescadores estarão junto dele; desde En-Gedi até En-Eglaim, haverá lugar para estender as redes; o seu peixe será, segundo a sua espécie, como o peixe do Mar Grande, em multidão excessiva.

Ezequiel 47:11
Mas os seus charcos e os seus pântanos não sararão; serão deixados para sal.

Ezequiel 47:12
E junto do rio, à sua margem, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer. Não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto. Nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário. O seu fruto servirá de alimento e a sua folha de remédio.

Fonte:  www.espacojames.com.br