Páginas

sábado, 25 de janeiro de 2014

O MISTÉRIO DOS BOLAINES DO MAR MORTO



Nas Margens Recuada do Mar Morto surgiram uma infinidades de Buracos e dentro dos Buracos surgiram água doce de debaixo da terra e essa água mesmo em contato com o Mar Morto continua doce. A ciência não tem explicação para esse Fenômeno, Mas a Palavra de Deus tem, o que está acontecendo e o que ainda à por vir !

Veja o video:


O Mistério dos Bolaines Do Mar Morto


Há milhares de anos, surgiu no sul de Israel uma depressão enorme, de aproximadamente 80 quilômetros de comprimento por 18 quilômetros de largura, com uma profundidade insondável, que desce aos abismos da Terra. Como naquele lugar ficavam as antigas cidades de Sodoma e Gomorra, teria sido tal depressão causada pelo fogo e enxofre que desceram do céu, fato confirmado até por Jesus. A verdade é que as outroras campinas verdejantes da região transformaram-se em um paisagem estéril, sem vida, e com uma altíssima concentracão de sal, como nunca se viu em qualquer outro lugar do mundo!

Como que para ocultar aquele enorme buraco – considerado o lugar mais baixo da Terra –, Deus fez com que, por milhares de anos, o Rio Jordão despejasse ali as suas águas doces, até que se formasse um enorme lago com a mesma extensão da depressão: 80 km. Porém, como a concentração de sal ali é altíssima, toda água trazida pelo Rio Jordão é imediatamente transformada em uma água imprestável, dez vezes mais salgada do que a água de qualquer oceano.

Naquelas águas salgadas, nem mesmo a mais resistente bactéria consegue sobreviver. Qualquer peixe eventualmente transportado pelas correntezas do Rio Jordão morre assim que desagua neste lago de morte. Por isso aquele imenso lago é chamado de Mar Morto. Nos últimos 50 anos, o Mar Morto perdeu um terço das suas águas e, a cada ano, encolhe um metro. Ou seja: literalmente, o Mar Morto está morrendo!





Na década de 80, o primeiro-ministro de Israel, Menahem Begin, preocupado em salvar o Mar Morto, projetou transportar as águas do Mar Mediterrâneo através de dutos, e despejá-las no Mar Salgado, para reabastecê-lo. Mas o projeto foi abandonado por ser muito oneroso e politicamente impraticável, já que os dutos teriam de passar por dentro de centenas de montanhas e também por territórios hostis a Israel. Desde então, o Mar Morto continuou morrendo, sem que os geólogos, ambientalistas e cientistas pudessem fazer qualquer coisa, a não ser assistir à sua lenta extinção!

Porém, de alguns anos para cá, de maneira inexplicável, BURACOS MISTERIOSOS, com cerca de 30 metros de diâmetro por 7 de profundidade, começaram a surgir nas praias salgadas do Mar Morto e, de dentro deles, surpreendentemente, ÁGUAS PASSARAM A TRANSBORDAR! Águas que, apesar de brotarem de um solo extremamente salgado, CONSERVAM-SE DOCES E SAUDÁVEIS! Estes “bolaines” - porque assim estão sendo chamados – multiplicaram-se, e hoje há centenas e centenas deles! E todos brotando e transbordando águas doces, QUE ENCHERÃO O MAR MORTO DE VIDA! A Ciência não tem uma explicação para isto, mas a Palavra de Deus tem! Ezequiel 47 tem a resposta.




O cumprimento da profecia em Ezequiel 47 

Ezequiel 47:1
Depois disso me fez voltar à entrada do templo; e eis que saíam umas águas por debaixo do limiar do templo, para o oriente; pois a frente do templo dava para o oriente; e as águas desciam pelo lado meridional do templo ao sul do altar.

Ezequiel 47:2
Então me levou para fora pelo caminho da porta do norte, e me fez dar uma volta pelo caminho de fora até a porta exterior, pelo caminho da porta oriental; e eis que corriam umas águas pelo lado meridional.

Ezequiel 47:3
Saindo o homem para o oriente, tendo na mão um cordel de medir, mediu mil côvados, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos artelhos.

Ezequiel 47:4
De novo mediu mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos joelhos; outra vez mediu mil, e me fez passar pelas águas, águas que me davam pelos lombos.

Ezequiel 47:5
Ainda mediu mais mil, e era um rio, que eu não podia atravessar; pois as águas tinham crescido, águas para nelas nadar, um rio pelo qual não se podia passar a vau.

Ezequiel 47:6
E me perguntou: Viste, filho do homem?
Então me levou, e me fez voltar à margem do rio.

Ezequiel 47:7
Tendo eu voltado, eis que à margem do rio havia árvores em grande número, de uma e de outra banda.

Ezequiel 47:8
Então me disse: Estas águas saem para a região oriental e, descendo pela Arabá, entrarão no Mar Morto, e ao entrarem nas águas salgadas, estas se tornarão saudáveis.

Ezequiel 47:9
E por onde quer que entrar o rio viverá todo ser vivente que vive em enxames, e haverá muitíssimo peixe; porque lá chegarão estas águas, para que as águas do mar se tornem doces, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio.

Ezequiel 47:10
Os pescadores estarão junto dele; desde En-Gedi até En-Eglaim, haverá lugar para estender as redes; o seu peixe será, segundo a sua espécie, como o peixe do Mar Grande, em multidão excessiva.

Ezequiel 47:11
Mas os seus charcos e os seus pântanos não sararão; serão deixados para sal.

Ezequiel 47:12
E junto do rio, à sua margem, de uma e de outra banda, nascerá toda sorte de árvore que dá fruto para se comer. Não murchará a sua folha, nem faltará o seu fruto. Nos seus meses produzirá novos frutos, porque as suas águas saem do santuário. O seu fruto servirá de alimento e a sua folha de remédio.

Fonte:  www.espacojames.com.br

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ESCARNECEDORES DE DEUS


Qual é a gravidade de escarnecer da Bíblia Sagrada? 

"Vós, porém, amados, lembrai-vos das palavras anteriormente proferidas pelos apóstolos de nosso Senhor Jesus Cristo, os quais vos diziam: No último tempo, haverá escarnecedores, andando segundo as suas ímpias paixões. São estes os que promovem divisões, sensuais, que não têm o Espírito. " Judas 1:17-19

"Bem-aventurado o homem que não anda no conselho dos ímpios, não se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores." Salmos 1:1,2


Significado de Escarnecer.

Fazer escárnio, censurar sem piedade, ridicularizar; zombar, etc.

"Escarnecedor" é uma pessoa irreverente que gosta de zombar, criticar e ridicularizar. A "roda dos escarnecedores" é a reunião dos zombadores, que ridicularizam a Deus.

A "roda dos escarnecedores" é aquele círculo onde estão os contadores de piadas irreverentes, dos que zombam dos cristãos e dos bons princípios. E dão risadas e gargalhadas dos que temem a Deus.

Existem muitos que se dizem "cristãos" que vivem a compartilhar piadas com as coisas de Deus.

Qual é a gravidade de um alguém, escarnecer da Biblia Sagrada? Seria isso menos grave do que escarnecer do próprio Deus?

Alguns pontos:

1) A Palavra é o próprio Cristo, o Deus Encarnado (Jo.1.1,1 Tm. 3.16,1 Jo. 1.1-2,1 Jo. 5.7,8). Ao escarnecermos da infalibilidade da Palavra, estamos escarnecendo do prórpio Cristo.

2) A Bíblia foi inspirada por Deus e é a Sua Palavra escrita (2 Tm. 3.16, Hb. 4.13). Escarnecer da Bíblia é escarnecer do próprio Deus pois chama-O de mentiroso e põe em causa a Sua Vontade revelada. Fora da Bíblia não há o conhecimento da Vontade de Deus, boa, perfeita e agradável (Rm. 12.2).

3) A Bíblia alerta que o mundo acha loucura aquilo que nós pregamos e cremos (1 Cor 1.18). Mas para nós é o poder de Deus.Somos incentivados a ter zelo pelas coisas de Deus (1 Rs. 19.10,14) e pelo seu concerto.O seu concerto nestes últimos dias é a Palavra da Graça,revelada na Bíblia.

4) A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre Salmo 119.160
A Palavra de Deus é a Única Verdade revelada desde o princípio.Tudo deve passar pelo seu crivo. Quem nega a sua autenticidade,está negando aquilo que o próprio Deus disse. Quem a escarnece, está dizendo que Deus é um "bobo", pois foi Ele quem lhe insufliu Vida.

5) A própria negação da Soberania de Deus é considerada blasfêmia, quanto mais o escárnio para com a sua Palavra!

"Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará."Gálatas 6:7

"Até quando, ó simples, amareis a simplicidade? E vós escarnecedores, desejareis o escárnio? E vós insensatos, odiareis o conhecimento?" Provérbios 1:22

Fonte: http://mensagemereflexao1.blogspot.com.br/2012/08/no-ultimo-tempo-havera-escarnecedores.html

sábado, 18 de janeiro de 2014

HIERARQUIA ECLESIÁSTICA


          Antes de falarmos sobre quem manda e desmanda, se é que isto existe, vamos compreender o que é hierarquia, e o que é Eclésia, de onde vem a palavra: eclesiástica.
O dicionário Michaelis diz:

hierarquia
sf (gr hierárkhios+ia1) 1 Ordem, graduação, categoria existente numa corporação qualquer, nas forças armadas, nas classes sociais. 2 Rel catól Totalidade do clero e a sua graduação. 3 Rel catól Ordem de classificação dos nove coros de anjos. Var: jerarquia.

eclésia
sf (gr ekklesía) 1 Antig gr Assembléia política de cidadãos dos Estados da Grécia antiga, especialmente dos de Atenas. 2 Rel Org
anização cristã; Igreja.

A hierarquia eclesiástica é então a ordem sob a qual a igreja está organizada, tendo como único líder supremo o Senhor Jesus Cristo. Através da Bíblia Sagrada vemos que tanto no Novo quanto no Velho Testamento Deus tem uma especial atenção a organização e formação de seus representantes na terra. Vamos tomar como exemplo os doze escolhidos de Jesus Cristo, chamados apóstolos, Lucas 6.12-18

12 - E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus.
13 - E, quando já era dia, chamou a si os seus discípulos, e escolheu doze deles, a quem também deu o nome de apóstolos:
14 - Simão, ao qual também chamou Pedro, e André, seu irmão; Tiago e João; Filipe e Bartolomeu;
15 - Mateus e Tomé; Tiago, filho de Alfeu, e Simão, chamado Zelote;
16 - E Judas, irmão de Tiago, e Judas Iscariotes, que foi o traidor.
17 - E, descendo com eles, parou num lugar plano, e também um grande número de seus discípulos, e grande multidão de povo de toda a Judéia, e de Jerusalém, e da costa marítima de Tiro e de Sidom; os quais tinham vindo para o ouvir, e serem curados das suas enfermidades,
18 - Como também os atormentados dos espíritos imundos; e eram curados.

Embora houvesse muitos seguidores, Jesus faz uma seleção criteriosa e chama apenas 12 para o ministério. E’le vai ensinar e testar os 12, durante 3 anos vão aprender à servir, se humilhar, perdoar, negar-se a si mesmos, e amar. Exatamente como Jesus. Paulo declara:

1CO 11:1 -  Sede meus imitadores, como também eu sou de Cristo.

Quando falamos em funções ou cargos eclesiásticos muitos pensam apenas na autoridade exercida, esquecendo-se do que Jesus disse em Mateus 20.25-28:

25 - Então Jesus, chamando-os para junto de si, disse: Bem sabeis que pelos príncipes dos gentios são estes dominados, e que os grandes exercem autoridade sobre eles.
26 - Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal;
27 - E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;
28 - Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.

A hierarquia na igreja existe para a organização do culto e bom serviço do Reino de Deus.
Entendido isso, passemos a outro ponto como diferentes igrejas se organizam e definem seus ministros?


Congregação Cristã do Brasil
Segundo os estatutos da Congregação Cristã no Brasil suas atividades são conduzidas por um ministério organizado, servindo sem expectativas de receber salário, distribuído segundo as necessidades de cada localidade, constituído por anciãos, cooperadores do ofício ministerial e diáconos. Somente os anciãos e diáconos são ministros ordenados (I Tim. 4:14)
Para todos os cargos de ministério, auxiliares de jovens e menores, músicos oficializados, encarregados de orquestras e administradores, devem ser batizados conforme a doutrina seguida pela Congregação Cristã no Brasil e em todos os outros países (por imersão,seguindo a formula: "Irmão em nome de Jesus Cristo te batizo, Em nome do Pai, do Filho, e do Espírito Santo").

§  Ancião - responsável pelo atendimento da Obra, realização de batismos, santas ceias, ordenação de novos obreiros (anciães e diáconos), apresentação de Cooperadores do Ofício Ministerial e Cooperadores de Jovens e Menores, atendimento das Reuniões para Mocidade, encarregado de conferir ensinamentos à igreja, cuidar dos interesses espirituais e do bem-estar da igreja, entre outras funções; atualmente o Ancião-Presidente é Jorge Couri; atende na sede localizada no bairro do Brás em São Paulo;

§  Diácono - responsável pelo atendimento assistencial e material à igreja. É auxiliado por irmãs obreiras chamadas de "Irmãs da Obra da Piedade". Assim como o ancião, atende a diversas congregações de sua região;

§  Cooperador do Ofício Ministerial - responsável pela cooperação nos ensinamentos e presidência dos cultos oficiais e das Reuniões de Jovens e Menores em uma determinada localidade (desde que não haja um Cooperador de Jovens e Menores responsável pelo atendimento dessa localidade), não podendo realizar batismos, Santa Ceia, Reuniões para Mocidade, Ordenações, dentre outras coisas que só cabem ao Ancião ou ao Diácono.
Além dos ministros previsto em estatuto acima citados, há outros cargos ou funções:

§  Cooperador de Jovens e Menores - responsável de atender as Reuniões de Jovens e Menores de sua comum congregação.

§  Músico - membro habilitado e depois de passar por testes musicais é oficializado para tocar nos cultos e demais serviços.

§  Encarregado de Orquestra - músico oficializado, designado para coordenar o ensino musical aos interessados e organizar ensaios musicais da Orquestra da Congregação. As "Examinadoras" são organistas mulheres, oficializadas, designadas para avaliar outras organistas aprendizes no processo de oficialização.

§  Auxiliar de Jovens e Menores - são jovens, homens ou mulheres solteiros, designados para preparar e organizar os recitativos das Reuniões de Jovens e Menores individuais ou em grupo e cuidar da ordem e da organização durante a reunião.

§  Administração - ministério material, constituído por Presidente, Tesoureiro, Secretário, Auxiliares da Administração, Conselho Fiscal e Conselho Fiscal Suplente. Os administradores são eleitos a cada três anos e o Conselho Fiscal anualmente, durante a Assembleia Geral Ordinaria. É permitida a recondução ao cargo.


Igreja Católica Apostólica Romana
A Igreja Católica tem uma estrutura altamente hierarquizada, sendo o seu Chefe o Papa. A expressão "Santa Sé" significa o conjunto do Papa e dos dicastérios da Cúria Romana, que o ajudam no governo de toda a Igreja.
A Igreja tem uma estrutura hierárquica de títulos que são em ordem descendente:
§  Papa, que é o Sumo Pontífice e chefe da Igreja Católica, o guardador da integridade e totalidade do depósito da fé, o Vigário de Cristo na Terra, o Bispo de Roma e o possuidor do Pastoreio de todos os cristãos, concedido por Jesus Cristo a São Pedro e, consequentemente, a todos os Papas. Esta autoridade papal (Jurisdição Universal) vem da  de que ele é o sucessor direto do Apóstolo São Pedro. Na Igreja latina e em algumas das orientais, só o Papa pode designar os membros da Hierarquia da Igreja acima do nível de presbítero. Aos Papas atribui-se infalibilidade, desde o Concílio Vaticano I, em 1870. Por essa prerrogativa, as decisões papais em questões de  e costumes (moral) são infalíveis.   Todos os membros da hierarquia respondem perante o Papa e a sua corte papal, chamada de Cúria Romana.

§  Cardeais são os conselheiros e os colaboradores mais íntimos do Papa, sendo todos eles bispos (alguns só são titulares). Aliás, o próprio Papa é eleito, de forma vitalícia (a abdicação é rara, porque já não acontecia desde a Idade Média) pelo Colégio dos Cardeais. A cada cardeal é atribuída uma igreja ou capela (e daí a classificação em cardeal-bispocardeal-presbítero e cardeal-diácono) em Roma para fazer dele membro do clero da cidade. Muitos dos cardeais servem na Cúria, que assiste o Papa na administração da Igreja. Todos os cardeais que não são residentes em Roma são bispos diocesanos.

§  Patriarcas são normalmente títulos possuídos por alguns líderes das Igrejas Católicas Orientais sui juris. Estes patriarcas orientais, que ao todo são seis, são eleitos pelos seus respectivos Sínodos e depois reconhecidos pelo Papa. Mas alguns dos grandes prelados da Igreja Latina, como o Patriarca de Lisboa e o Patriarca de Veneza, receberam também o título de Patriarca, apesar de ser apenas honorífico e não lhes conferirem poderes adicionais.

§  Arcebispos (Metropolita ou Titular) são bispos que, na maioria dos casos, estão à frente das arquidioceses. Se a sua arquidiocese for a sede de uma província eclesiástica, eles normalmente têm também poderes de supervisão e jurisdição limitada sobre as dioceses (chamadas sufragâneas) que fazem parte da respectiva província eclesiástica.

§  Bispos (DiocesanoTitular e Emérito) são os sucessores diretos dos doze Apóstolos. Receberam o todo do sacramento da Ordem, o que lhe confere, na maioria dos casos, jurisdição completa sobre os fiéis da sua diocese.

§  Presbíteros ou Padres são os colaboradores dos bispos e só têm um nível de jurisdição parcial sobre os fiéis. Alguns deles lideram as paróquias da sua diocese.
§  Monsenhor é um título honorário para um presbítero, que não dá quaisquer poderes sacramentais adicionais.

§  Diáconos são os auxiliares dos presbíteros e bispos e possuem o primeiro grau do Sacramento da Ordem. São ordenados não para o sacerdócio, mas para o serviço da caridade, da proclamação da Palavra de Deus e da liturgia. Apesar disso, eles não consagram a hóstia (parte central da Missa) e não administram a Unção dos enfermos e a Reconciliação.


Judaismo
No judaísmo, os Kohanim (singular כהן kohen, plural כּהנִים kohanim, de onde os nomes CohenCahnKahnKohnKogan e etc) são sacerdotes hereditários através da ascendência paterna. Estas famílias são da tribo dos Leviim (Levitas), e são tradicionalmente aceitos como os descendentes de Aarão. Em Êxodo30:22-25 Deus ordena a Moisés que fizesse uma unção de óleo santo para consagrar os sacerdotes de todas as gerações que virão. Durante os tempos dos dois Templos judeus em Jerusalém, os levitas foram responsáveis por diários e especiais feriados judaicos, bem como oferendas e sacrifícios no templo conhecido como o Korban.
Desde o fim do Segundo Templo e, portanto, a cessação de cerimónias sazonais e diárias, e sacrifícios, os Cohanim no judaísmo tradicional (judaísmo ortodoxo e, em certa medida, o judaísmo conservador) têm continuado a realizar uma série de cerimônias sacerdotais, e mantiveram-se sujeitos, em especial no judaísmo ortodoxo, a uma série de regras especiais, nomeadamente restrições sobre o casamento, a pureza ritual, e outros requisitos. O judaísmo ortodoxo acredita que os Cohanim futuramente servirão em um novo e restaurado Templo. Em todos os ramos do judaísmo, os rabinos não executam quaisquer funções sacerdotais como propiciação, sacrifício, ou sacramento. Em vez disso, sua função religiosa principal é servir como um juiz autoritário e expositor da lei judaica. Os rabinos também geralmente exercem funções de liderança social e aconselhamento pastoral.
“O supremo pontífice era o sumo sacerdote; seguia-se o segundo sacerdote, 2Rs 25.18, que provavelmente era denominado o pontífice da casa de Deus, 2Cr 31.13; Ne 11.11, e o magistrado do templo, At 4.1; 5.24. Os pontífices de que fala o Novo Testamento eram os sumos sacerdotes, membros da família dos antigos sacerdotes e funcionavam irregularmente. A lei que regulava o acesso às funções do sumo sacerdócio havia caído em olvido em conseqüência das perturbações políticas e do domínio estrangeiro. Os pontífices eram investidos em seu oficio ou dele despojados à mercê dos governos dominantes.”
Fonte: Dic. Bíblia John Davis


Igreja Evangélica Missão Redenção
A IEMIR tem um caráter evangelístico, procurando seguir os passos dos apóstolos e por fim de Cristo na pregação do evangelho a toda a criatura. Sua estrutura é composta por:

Aspirantes – Pessoas que tem o desejo expressado voluntariamente para a vida eclesiástica, ou que receberam o chamado para fazer parte desta obra. Tem como objetivo aprender as sagradas escrituras, as ordenanças da igreja e sua liturgia. Não é uma nomeação, e sim um estado de observação mutua, onde o aspirante pode avaliar seu desejo de ser um obreiro, e o corpo de obreiros avalia suas competências morais e bíblicas.

Cooperadores – São ordenados ao cooperado, homens e mulheres, que foram devidamente instruídos, e/ou demonstraram chamado patente diante da Igreja de Cristo. Sua atuação é genérica auxiliando, irmãos e outros obreiros. Nas mais diversas tarefas.

Diáconos – Os deveres dos diáconos ou diaconisas estão ligados mais a preparação de cerimonias e auxilio na condução destas, como: batismos, santa ceia, casamentos, cruzadas evangelistas, reuniões e cultos diversos. Podem, de acordo com a necessidade: dirigir congregações, ministrar a santa ceia e propagar o ensino da Palavra de Deus. Não podendo realizar batismos (exceto em casos de extrema urgência, ou previamente outorgados) ou realizar qualquer tipo de ordenação. Após o diaconato, pode-se ir ao presbitério ou evangelismo, de acordo com a vocação dada pelo Espírito Santo, ou mesmo permanecer no diaconato.


Presbíteros – São em resumo co-pastores, encarregado de conferir ensinamentos à igreja, cuidar dos interesses espirituais e do bem-estar da igreja, entre outras funções conforme a orientação de seu pastor. Atuam também como pastores, podendo realizar todas os ritos da igreja exceto a ordenação, embora possa indicar pessoas para o Curso de Oficiais na Igreja Sede de seu Setor.

Evangelistas – O evangelista pode assumir congregações com o objetivo de organiza-las e desenvolver projetos evangelísticos adequados a cada região. É responsável pelos programas e métodos evangelísticos da igreja, em conjunto com o corpo de obreiros e membros. Pode abrir novas igrejas, conforme a orientação do Pastor Setorial, e/ou Pastor Presidente. Sua meta e a divulgação do Evangelho de Jesus Cristo.


MissionáriosPessoas chamadas por Deus para levar o evangelho além de suas fronteiras culturais, não exercem uma atividade eclesiatica especifica, mas podem sendo outorgados abrir igrejas, e desenvolver eventos evangelísticos. Atuam preferencialmente fora do país, e/ou fora do estado.

Pastores – O pastorado é o grau máximo reconhecido pelo ministério, mulheres também podem ser ordenadas, as funções do Pastor vão desde a ministração de ritos como: batismo, casamento, santa ceia, ministração da palavra, até a gerencia administrativa da igreja, criação de departamentos, organização de eventos, etc. O pastor(a) poderá atuar na condução de uma ou mais igrejas.

Pastor Local - conduz uma única congregação, pode indicar pessoas para a ordenação na sede do seu setor;

Pastor Setorial  - conduz varias igrejas de uma determinada região, com o auxilio dos Pastores Locais, pode realizar ordenações até o nível do presbitério;

Pastor Presidente - Líder da igreja, gestor e responsável pela organização jurídica, encarregado de conferir ensinamentos à igreja, cuidar dos interesses espirituais e do bem-estar da igreja, gerir os setores e igrejas afiliadas. É também o guardião da identidade do ministério zelando pela Sã Doutrina e a Genuína Pregação do Evangelho de Jesus Cristo. Comissionado por Deus para tem a missão de levar a palavra aos confins da terra. Atualmente o Pastor Eloizio Pereira da Silva, exerce a função de Pastor Presidente sendo ele também o fundador do Ministério. Mais informações podem ser obtidas em: www.iemir.org.br

A maioria das denominações evangélicas seguem padrões parecidos com os citados, mudando-se apenas a nomenclatura e ou quantidade de ordenações usadas. Exemplos:

Renascer em Cristo
Aspirantes
Diáconos 
Presbíteros
Pastores 
Bispos
Apóstolos

Assembléia de Deus
Cooperadores
Diáconos 
Presbíteros
Evangelistas
Pastores 
Missionários (este atua de diferentes formas no campo da evangelização, fundação de igrejas, etc. Não é necessário passar por outros ofícios para ser missionário.)

Fonte: http://pastor-elder.blogspot.com.br/2011/06/ebo-hierarquia-eclesiastica.html

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

ENORME RESERVATÓRIO DE ÁGUA ENCONTRADO EM JERUSALÉM


          Mais um impressionante achado revela como era Jerusalém há 2 mil anos atrás. Tal como tantos outros, este aconteceu "por acaso", quando o piso de um dos túneis ao lado do Muro Ocidental começou a ceder durante as escavações, provocando grande curiosidade e até expectativa da parte dos arqueólogos. É que quando se encontram buracos no chão, isso pode ser perigoso, mas ao mesmo tempo um sinal de que por baixo existirão camadas de História prontas a serem reveladas.

Foi isso exatamente que aconteceu recentemente, quando parte do piso de uma imenso sistema de drenagem colapsou, bem abaixo do Muro Ocidental. Quando os arqueólogos tentaram investigar o que estava acontecendo, estavam longe de adivinhar o que iriam descobrir!

Tão entusiasmados ficaram, que não esperaram pela chegada de lanternas, e utilizaram as luzes dos visores dos seus telemóveis para tentarem ver o que tinham encontrado. O arqueólogo chefe deste grupo, Eli Shukron, que tem andado a escavar em Jerusalém há 25 anos, foi o primeiro a enfiar a cabeça no buraco e ficou completamente sobrepujado pelo tamanho da sala que haviam descoberto.

Baseando-se em prévias escavações e pesquisas na área, Shukron ficou umediatamente convencido que eles tinham tropeçado numa enorme cisterna subterrânea do período do Primeiro Templo. O achado é significativo, pois é a primeira evidência de armazenamento de água próximo ao Primeiro Templo de Jerusalém.

Até agora, os peritos têm sempre pensado que os peregrinos e os residentes costumavam descer até à fonte de Gihon - situada num caminho ao fundo do parque da Cidade de David - de forma a poderem obter água para uso nos rituais e na vida diária à volta do Primeiro Templo.

Nas palavras proferidas por Shukron: "Isto dá-nos agora uma oportunidade para conhecermos a vida no dia a dia desta gente."

Medindo aproximadamente um décimo do tamanho de uma piscina olímpica, o reservatório mede 12 metros por 5, e 4,5 de altura, e pode conter aproximadamente 250 metros cúbicos de água.

Shukron data o reservatório de água do período do Primeiro Templo, uma vez que ele usa o mesmo tipo de reboco usado em outros reservatórios na região das Fontes de Gihon da mesma época.

É praticamente certo que o reservatório era público, uma vez que os poços privados podiam apenas conter algumas poucas dezenas de metros cúbicos de água.

Quando este reservatório se encontrava em uso, as águas das nascentes que escorriam do Monte do Templo entravam por um dos lados do reservatório e enchiam todo o espaço. Ontem mesmo, e apesar de estarmos no fim do verão, num dos cantos do reservatório ainda se encontra um tanque com água fresca.

Segundo o Dr. Tvika Tsuk, o arqueólogo responsável pela Autoridade para os Parques Naturais em Israel e um perito em sistemas antigos de água, disse que o reservatório era semelhante aos encontrados em Beit Shemesh e Bersheva, do mesmo período histórico.

"Presume-se que o grande reservatório de água, situado próximo ao Monte do Templo, seria usado para as actividades diárias do Monte do Templo e também pelos peregrinos que subiam ao Templo e que necessitavam de água para beber e banharem-se," - afirmou o arqueólogo.

Conseguem-se ainda ver as marcas das mãos dos trabalhadores que colocaram o reboco.

A descoberta do reservatório foi apresentada durante a 13ª Conferência de estudos sobre a Jerusalém Antiga, que trata dos achados no parque arqueológico da Cidade de David.

Os canais de drenagem debaixo da Praça do Muro Ocidental são parte de um gigantesco projecto levado a cabo durante o período do Segundo Templo. Até o entulho que enche os canais de água contém descobertas únicas: pedaços de cerâmica com 2.000 anos, um sino dourado ornamental que provavelmente pertencia a um sumo sacerdote, e sinetes - um dos quais contém a mais antiga referência a Belém.

Fonte:http://shalom-israel-shalom.blogspot.com.br/2012/09/enorme-reservatorio-de-agua-encontrado.html

http://instagram.com/britcandido