Páginas

terça-feira, 22 de setembro de 2015

PAULO: JOGOU A VÍBORA NO FOGO E SEGUIU EM FRENTE





“E, havendo escapado, então souberam que a ilha se chamava Malta.
E os bárbaros usaram conosco de não pouca humanidade; porque, acendendo uma grande fogueira, nos recolheram a todos por causa da chuva que caía, e por causa do frio.
E, havendo Paulo ajuntado uma quantidade de vides, e pondo-as no fogo, uma víbora, fugindo do calor, lhe acometeu a mão.
E os bárbaros, vendo-lhe a víbora pendurada na mão, diziam uns aos outros: Certamente este homem é homicida, visto como, escapando do mar, a justiça não o deixa viver.
Mas, sacudindo ele a víbora no fogo, não sofreu nenhum mal.
E eles esperavam que viesse a inchar ou a cair morto de repente; mas tendo esperado já muito, e vendo que nenhum incômodo lhe sobrevinha, mudando de parecer, diziam que era um deus.”
Atos 28:1-6


RESUMO DA HISTÓRIA BIBLICA
O navio havia onde Paulo estava naufragou, ele e os que eles estavam com ele, estavam cansados, molhados e com frio. Chegando a uma ilha chamada Malta eles foram recebidos pelos nativos. Malta era uma ilha hospitaleira. Chovia e estava frio e os nativos fizeram então uma grande fogueira. Paulo ajudando a achar madeira, colocando-a no fogo foi mordido por uma víbora.

1. A IGREJA DEVE RECEPCIONAR OS NAUFRAGOS DESSE MUNDO
Os dias são maus. Muitas coisas nos entristecem diariamente. A Igreja tem que ser um apoio, ao irmão cansado. Devemos abraçar e agasalhar a todos os que Deus nos mandar.

2. FOGUEIRA ACESA É ALTAR DE PÉEsta fogueira me lembra o Altar no deserto. No linguajar bíblico, o altar significa a nossa vida perante Deus. De acordo com a simbologia bíblica só existem três posições para o cristão:

Primeiro: de pé, o que significa que estamos na fé, agradando a Deus, sem pecado, na posição;

Segundo: sentado, o que mais dá a impressão que o cristão está caindo, do que se levantando, o que mostra essa ser uma posição muito incomoda de mornidão espiritual: a pessoa não é quente e nem fria; e

Terceiro: a posição deitada, ou caída, que é a posição de quem não está na presença de Deus, está em pecado, sem fé, fora das alianças, desviado.

Existe a simbologia de fogo ser símbolo do Espírito Santo em nossas vidas. Esse fogo é chamado de unção. Unção é capacitação espiritual. Precisamos estar de pé e precisamos de ter fogo em nosso altar.

Chama a atenção que a fogueira acesa pelos nativos na ilha foi feita na chuva e era uma grande fogueira. O que apaga o fogo é a chuva e eles conseguiram fazer não uma fogueira qualquer, mas uma grande fogueira, na chuva. A intempéries da vida não devem nos fazer parar. Não devemos desistir se algo não está dando certo, o contrário é verdade, devemos resistir, nos esforçar.

3. PARA MANTER A FOGUEIRA ACESA É PRECISO TRABALHAR
A fogueira que acenderam em Malta precisou ser alimentada. Precisamos orar, ler e estudar a Bíblia e congregar, além de que com o tempo seria bom todos os irmãos estarem engajado em algum ministério na Igreja.

Precisamos trabalhar pela obra de Deus como eles o fizeram: em união. Todos cooperaram para o bem comum.

4. HOSPITALIDADE
Todos gostamos de ir a um lugar onde nos sentimos bem. Com certeza voltaremos a esse lugar, mais uma vez, ou mais algumas vezes. Todos gostamos de pessoas hospitaleiras, pessoas que não nos constrangem, pessoas que nos fazem bem e que queremos ficar perto. Pessoas que nos colocam pra cima, nos empurram ao sucesso, são as preferidas. E o que gostamos que façam conosco, podemos fazer com os outros.

5. A VÍBORA FUGIU DO FOGO
A víbora tem o significado de problemas, ou até mesmo de demônios tentando atacar o cristão. Até o momento em que foi jogada no fogo, ela não se manifestou. Paulo trazia no meio dos gravetos, uma víbora, uma cobra de veneno mortal. Talvez estejamos fazendo algo, até bom, e no meio está uma víbora. Até o momento em que ela não tinha sido jogada no fogo, ela estava escondida e quieta. Talvez exista algum problema que precise ser tirado de nossas vidas e ele não irá se manifestar a não ser que seja jogado no fogo, ou que sinta a presença ungida do Espírito. Devemos jogar no fogo, todos os nossos problemas, para que Deus possa queimá-los de vez.

6. SACUDA A COBRA NO FOGO E SIGA EM FRENTE
A cobra que estava escondida no meio dos gravetos que Paulo trazia para serem queimados, ao sentir o fogo, mordeu a mão de Paulo e ficou grudada na sua mão. A atitude de Paulo é muito interessante: ele sacudiu a mão e tornou a jogá-la no fogo. Paulo seguiu em frente, apesar de mordido. A serpente só se manifestou quando o fogo a esquentou e ela tentou fugir do fogo. Paulo foi ferido por ela e com certeza doeu, além do medo que pode dar ao vermos uma serpente nos atacando e até mesmo ficando grudada em nossas mãos. A serpente pode ser um problema ou até mesmo uma Batalha Espiritual que se levante contra nós. Momentaneamente podemos nos assustar - ao fazermos algo para Deus, ou tentarmos levantar numa grande fogueira e o nosso altar - que se manifeste algum mal. Paulo sacudiu a serpente e a jogou novamente no fogo e ela morreu. Depois desse episódio outros ocorreram na vida de Paulo. Aconteceu, mordeu, doeu, assustou, mas Deus guardou e abençoou, então é hora de seguir em frente. Sacode a víbora no fogo e siga o seu caminho.

7. JULGANDO ERRADO
Vendo Paulo com a víbora agarrada na mão o julgaram errado. Os nativos pensaram que Paulo iria morrer imediatamente e ficaram esperando a dor chegar ao braço, o veneno correndo na veia e por fim Paulo morrer em grande agonia, mas nada disso aconteceu.

Vejo nessa passagem o julgamento errado que muitas vezes fazemos, ou recebemos. Nem toda prova é pecado, assim que nem todo pecado é prova. Pois existe uma diferença entre provação e tentação: a provação vem da parte de Deus, com vistas a nos purificar e abençoar, entretanto a tentação vem à nossa vida com vistas a nos destruir, nos envergonhar, nos desviar.

Qual é a diferença entre provação e tentação?

Todo problema pode ser tanto uma provação, como uma tentação, mas como passamos o período é que vai nos dizer se aquilo foi uma provação ou tentação. Se eu passar a prova orando e jejuando, crendo e esperando em Deus, além de louvando, isso é provação e serei aprovado. Se, por outro lado, eu pecar e me desviar e errar e começar a dizer besteiras pra Deus, isso então virou tentação e Deus precisa me erguer novamente, eu falhei.

As pessoas julgam que todo problema que exista conosco seja por causa de pecados claros ou escondidos. Jó não tinha pecados e foi duramente atacado pelo Inferno em pessoa. Nunca devemos julgar.


8. O MUNDO SE ESPANTA EM NÃO NOS OCORRER NENHUM MAL
Os nativos acharam que Paulo era um deus, porque nada lhe aconteceu, depois que foi mordido pela serpente. As pessoas que estão ao nosso redor se espantam pela quantidade de provas e lutas que nos sobrevêm e nos veem sempre louvando e cantando a Deus. Até mesmo crentes desviados se espantam com os que conseguem persistir com Deus, apesar de toda provação e ataque do inimigo.

Nós conseguimos ficar firmes porque Deus nos tem sustentado, Ele é a nossa força e com Ele nunca seremos derrotados. Podemos até mesmo perder uma batalha, mas a guerra Deus já ganhou pra nós, resta-nos ficar na presença de Deus e seremos vitoriosos eternamente.

9. AQUILO QUE PAULO FEZ FOI O QUE O SALVOU
E pra encerrar, lembramos que aquilo que Paulo fez foi o que o salvou. Paulo estava juntando gravetos para colocar no fogo e nesse trabalho foi atacado pelo inimigo, mas justamente aquilo que ele fazia, que era alimentar o fogo, para que ele não se apagasse, foi o que matou a serpente.

Algumas vezes fazemos algo que o Diabo se levanta com muita fúria, isso pode até nos causar um medo momentâneo, ou dor, mas se não desistirmos, o que estamos fazendo é o que vai matar a serpente, ou o problema que se levantou. Se você começou um ministério e esse ministério foi atacado, ou você foi atacado por causa desse ministério que você está exercendo, então é esse ministério que irá matar o inimigo que se levantou. Se o que você está fazendo, está incomodando ao Diabo, então você está no caminho certo.
 
Fonte: Paulo Sergio Larios - http://www.recantodasletras.com.br/artigos/4295678